Atendimento Vila Mariana - SP

Agende sua consulta

Dor na relação após o parto: o que fazer?

Carinha triste próximo a genitalia
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

9 setembro, 2022

Por:

A dor na relação sexual é um problema que acomete a maioria das mulheres no pós-parto, podendo ocorrer principalmente durante a amamentação.

A grande maioria das mulheres apresenta desconforto ou ardência durante a relação sexual depois do resguardo que sucede ao parto. Isso porque, a maternidade traz muitas mudanças físicas e, principalmente, emocionais e hormonais no corpo da mulher.

As origens da dor para ter relação sexual podem ser variadas e devem ser avaliadas cuidadosamente para serem tratadas adequadamente. Sabemos que o período após o parto, incluindo o puerpério, é um momento bastante delicado para mulher, pois, ela se depara com uma série de mudanças, muito cansaço, blues puerperal ou até mesmo depressão pós-parto. Tudo isso pode impactar negativamente na vida sexual.

Pesquisam apontam que a disfunção sexual mais frequente no primeiro ano após o parto é a dispareunia, que é a dor persistente durante o ato sexual. Os principais fatores relacionados ao aparecimento da dor na relação sexual estão ligados a:

  • tipo de parto;
  • presença de episiotomia;
  • lacerações vaginais pós-parto;
  • amamentação;
  • dor na relação sexual durante a gestação;
  • dor na relação sexual previamente a gestação;
  • endometriose;
  • paridade;
  • depressão;
  • distúrbios de imagem;
  • estresse;
  • relacionamento abusivo.

Além disso, uma dessas modificações frequentes nas mulheres no puerpério que amamentam é o ressecamento vaginal, que só pode ser notado um pouco depois do parto (quando pode-se retomar a vida sexual), devido a esse período de pausa e modificações hormonais.

Continue a leitura para que possa entender um pouco mais sobre o assunto!

Descubra um tratamento eficaz para ressecamento vaginal e recupere sua qualidade de vida!

Agende uma consulta

O que é ressecamento vaginal?

O ressecamento vaginal é uma alteração bastante comum em mulheres que estão entrando na menopausa, devido à diminuição na produção do hormônio conhecido como estrogênio. Contudo, ele pode acontecer por outros fatores, como ansiedade, uso de medicamentos e pós-parto.

Mas vale destacar que não é normal ter ressecamento vaginal, e hoje existem diversos tratamentos e medidas — como aplicações de cremes, entre outros excelentes métodos — que podem melhorar o trofismo vaginal.

Por que acontece o ressecamento vaginal após o parto?

O ressecamento vaginal ocorre devido à enorme queda do estrogênio após o parto, que fica extremamente alto durante a gestação e é o principal responsável pela lubrificação da região. A queda dos níveis de estrogênio no pós-parto ocorre por motivos diferentes do que na menopausa.

Na menopausa, há uma falência na produção de estrogênio, ou seja, há diminuição na produção desse hormônio pelos ovários. Diferentemente do pós-parto, há um aumento da prolactina que é responsável pela produção do leite, muito importante na amamentação. Esse aumento dos níveis da prolactina causam uma diminuição nos níveis circulantes do estrogênio. Assim, efeitos como calorões e ressecamento vaginais são descritos, também, no puerpério.

Podemos entender que o ressecamento vaginal nada mais é que um problema geral que a maioria das mulheres estará sujeita. Entretanto, a experiência vivida pode ser diferente de uma mulher para outra.

Esse ressecamento vaginal pós-parto pode causar bastante desconforto e até mesmo deixar a mulher frustrada, pois ele interfere, e muito, na vida sexual do casal e na forma como ela se sente sobre si mesma, já que durante esse período a mulher passa pelo puerpério, momento que mexe bastante com o seu emocional e psicológico.

Sintomas da secura vaginal

Geralmente, as mulheres que passam pelo ressecamento vaginal apresentam alguns sintomas bastante comuns e incômodos. Entre eles, podemos destacar:

  • Ardor;
  • Queimação;
  • Irritação vaginal;
  • Diminuição da elasticidade da região;
  • Dores durante a relação sexual.

Todos esses sintomas causados pelo ressecamento vaginal levam a uma sensação ruim, devido ao atrito, e a mulher pode sentir bastante dor na hora da penetração, como citado.

Quando a secura vaginal não é tratada corretamente e, principalmente, quando não existe uma compreensão assertiva sobre o problema, isso pode causar impactos emocionais à mulher, que pode reter memória de que a relação sexual não é prazerosa, evoluindo até mesmo para o ato de evitar contato futuro com o seu parceiro.

Saiba como tratar e prevenir condições ginecológicas fazendo um bom acompanhamento.

Agende uma consulta

Após quanto tempo do parto a lubrificação volta ao normal?

O retorno da lubrificação vaginal acontece gradativamente. Desta forma, para as mulheres que não estão amamentando, aos poucos o ciclo hormonal vai retornando e, a partir daí, elas voltam a ovular. Por volta de dois ou três meses pós-parto, a quantidade de estrogênio retorna ao normal, assim como a lubrificação da região.

Agora, para as mulheres que  persistam tendo dor para ter relação após o primeiro pós-parto é importante serem avaliadas para que seja feito um diagnóstico completo e assertivo.

Como tratar a dor na relação após o parto?

Como já falamos,   a dispareunia após o parto podem ter diversas causas seja relacionadas a cicatrização do parto vaginal, o ressecamento vaginal relacionado a amamentação ou até mesmo relacionado com o estado emocional da mulher. Nesse momento, é importante a mulher ser avaliada por uma uroginecologista para indicar linhas de tratamentos adequadas para cada caso.

Não podemos negligenciar as queixas dessas mulheres nunca.

Para saber mais sobre ressecamento vaginal após o parto, entre em contato com a Dra. Priscila Matsuoka.

Fontes:

Dra. Priscila Matsuoka

Febrasgo