Atendimento Vila Mariana - SP

Agende sua consulta

Laparoscopia Ginecológica

Agende uma consultaFale conosco pelo WhatsApp
Laparoscopia Ginecológica
Imagem meramente ilustrativa (Banco de imagens: Shutterstock)

Diversos são os procedimentos ginecológicos que podem ser feitos via laparoscopia, técnica que garante melhor recuperação à paciente

A laparoscopia ginecológica é uma técnica cirúrgica minimamente invasiva que tem revolucionado a medicina, incluindo os procedimentos ginecológicos. Por oferecer uma série de benefícios à saúde da paciente, como menor tempo cirúrgico, cicatrizes e risco de infecções, essa tornou-se a abordagem preferencial de muitos médicos, oferecendo uma série de benefícios em comparação com as cirurgias tradicionais de grande porte.

Agende sua consulta com a Dra. Priscila Matsuoka!

O que é laparoscopia ginecológica?

A laparoscopia ginecológica é uma técnica cirúrgica minimamente invasiva que consiste em inserir uma câmera de vídeo e instrumentos cirúrgicos na cavidade abdominal através de pequenas incisões feitas na pele. Dessa forma, o cirurgião consegue visualizar os órgãos e realizar inúmeros procedimentos, incluindo cortes, excisão de massas, suturas e até mesmo a retirada de órgãos.

Vale destacar que cada incisão tem de 0,5 cm a 1,5 cm de tamanho, o que diminui o risco de infecção local, além de deixar cicatrizes mínimas, muitas vezes imperceptíveis.

Como a cirurgia é realizada?

Primeiramente, a paciente é levada ao centro cirúrgico e anestesiada como em qualquer outra cirurgia para garantir seu conforto durante o procedimento. Em seguida, são feitas pequenas incisões (geralmente três a quatro) de aproximadamente 0,5 a 0,8 cm na região a ser abordada, além de ser injetado gás carbônico para expansão da cavidade abdominal para ajudar o cirurgião a visualizar os órgãos através da câmera.

O próximo passo da laparoscopia ginecológica é inserir os trocáteres através das incisões. Esses são equipamentos cilíndricos por onde passarão os instrumentos cirúrgicos, como o laparoscópio, pinças, bisturi, tesoura e outros. Assim, após inserir a câmera e os instrumentos, o cirurgião performa o procedimento com base na condição da paciente, podendo suturar estruturas, remover tecidos e até mesmo extrair órgãos pelas incisões.

Ao final da cirurgia, os trocáteres são removidos e as pequenas incisões são fechadas com pontos de sutura e a paciente é encaminhada à recuperação pós-anestésica.

Cuide da sua saúde feminina com a Dra. Priscila Matsuoka!

Agende uma consulta

Quando a laparoscopia ginecológica é indicada?

Com o desenvolvimento dessa técnica cirúrgica, a laparoscopia ginecológica tem sido cada vez mais utilizada por médicos experientes e indicada para uma variedade de condições e procedimentos, incluindo:

  • Histerectomia: a laparoscopia pode ser usada para remover o útero e seus anexos, causando menos dor e uma recuperação mais rápida quando comparada à cirurgia tradicional;
  • Cistos ou miomas: a remoção de cistos ovarianos, como cistos dermoides ou cistos funcionais, e de miomas uterinos de diversos tamanhos e profundidade pode ser realizada por laparoscopia ginecológica;
  • Gestação ectópica: em casos de gravidez localizada fora do útero, a laparoscopia pode ser usada, causando menos traumas físicos e emocionais à mulher;
  • Laqueadura tubária: mulheres que optam pela “ligadura” como método definitivo de anticoncepção podem ter o procedimento feito via laparoscopia ginecológica;
  • Doenças inflamatórias: seja para diagnóstico ou tratamento, a laparoscopia pode ser usada como técnica preferencial no caso de doenças inflamatórias pélvicas;
  • Endometriose: em casos cirúrgicos de endometriose, com dificuldade de controle apenas com medicamentos, a laparoscopia ginecológica é frequentemente recomendada para a remoção de tecido endometrial.

Benefícios da laparoscopia ginecológica

A laparoscopia ginecológica é uma técnica cirúrgica que oferece vários benefícios tanto para a equipe médica quanto – e principalmente – para as pacientes.

Menos invasivo

A principal vantagem da laparoscopia é o fato de ser um procedimento muito menos invasivo, causando menos dano e reações inflamatórias e traumáticas aos tecidos lesionados. Outros benefícios são menor dor no pós-operatório, menor tempo de internação e recuperação mais rápida no pós-operatório.

Menos dor e inchaço

Uma das consequências de ser minimamente invasivo é que, no período de recuperação, a paciente enfrenta menos dor e inchaço no local da incisão, facilitando o retorno às atividades cotidianas.

Cicatrizes menores

As incisões da laparoscopia ginecológica são muito menores do que as incisões cirúrgicas tradicionais, garantindo um resultado estético muito melhor à paciente, sem afetar sua autoestima após o procedimento.

Tempo de recuperação mais curto

Por gerar menos trauma aos tecidos, e menos dor e inchaço no pós-operatório, o tempo de recuperação após uma laparoscopia é comumente mais curto do que o de uma cirurgia aberta, colaborando para uma alta hospitalar mais precoce.

Menor risco infeccioso

Por fim, diversos estudos já comprovaram que, ao optar pela laparoscopia como forma de abordagem cirúrgica, os pacientes apresentam menos infecções de ferida operatória e, consequentemente, menor risco de complicações sérias causadas por microrganismos hospitalares.

Cuide da sua saúde feminina com a Dra. Priscila Matsuoka!

Agende uma consulta

Como é a recuperação da laparoscopia ginecológica?

A recuperação da laparoscopia ginecológica varia de paciente para paciente e depende das comorbidades individuais e do tipo de procedimento realizado. No entanto, em grande parte das vezes, o tempo de internação é reduzido, podendo ter alta em até 24 horas.

Além disso, a dor pós-operatória é geralmente de intensidade leve a moderada e pode ser controlada com analgésicos comuns, prescritos pelo médico. Também, por ser um procedimento que gera menos trauma físico aos tecidos abordados, as pacientes que fazem algum procedimento via laparoscopia ginecológica geralmente podem retomar suas atividades normais em poucas semanas.

Porém, mesmo sendo uma técnica cirúrgica com risco reduzido de infecções e complicações, é preciso manter todos os cuidados de higiene com as incisões, limpando com água e sabão neutro e mantendo a região seca para evitar contaminação e proliferação de microrganismos.

Por fim, é preciso manter acompanhamento regular com o médico responsável pelo procedimento para monitorar a recuperação, remover as suturas quando necessário e garantir que a recuperação seja livre de qualquer complicação.

Há contraindicações?

Embora a laparoscopia ginecológica seja uma técnica cirúrgica avançada e segura, é sempre importante discutir com o ginecologista se algum fator de saúde pode ser impeditivo a essa abordagem, atentando-se principalmente a doenças hepáticas, problemas cardiopulmonares e cirurgias abdominais prévias. Além disso, distúrbios da coagulação, por exemplo, devem ser avaliados antes para garantir que o procedimento ocorra sem complicações.

Conheça a Dra. Priscila Matsuoka

A Dra. Priscila Matsuoka é especialista em laparoscopia ginecológica, com vasta experiência em procedimentos minimamente invasivos. Sua dedicação à saúde das mulheres e seu compromisso com o uso das técnicas mais avançadas garantem que suas pacientes recebam tratamentos eficazes e com menos desconforto pós-operatório.

Consultar um especialista nesse tipo de procedimento é fundamental para garantir a melhor abordagem para suas necessidades de saúde ginecológica.

Entre em contato e agende sua consulta com a Dra. Priscila Matsuoka;

 

Fonte:

Febrasgo

Cuidado integral
à saúde da mulher

Agende uma consulta
(11) 99802-1564